quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

A Lisboa amargo-doce

A primeira página de hoje do jornal Público aqui em Lisboa não é bem uma página mas um daqueles embrulhos publicitários que apenas associamos à distribuição massificada dos jornais gratuitos, como Metro e Destak.

Mas hoje, na compra do Público de Lisboa, ficamos a saber que o supermercado do Corte Inglés abriu uma sucursal no Parque das Nações (sim, também é em Lisboa). É talvez a melhor notícia do dia no Público (edição Lisboa), mas quantos de nós iremos comprar um jornal que nos cobra pela publicidade que vende?


Como eu sou um fã incondicional de supermercados, aproveito a benesse para assinalar a abertura de um Pingo Doce, talvez o melhor da cidade de Lisboa, na estação ferroviária de Santa Apolónia (quem vier do Porto é um instante). Cruel coincidência ou maternal doçura o facto da abertura do Pingo Doce em Santa Apolónia ter coincidido com o fecho da pastelaria Lua de Mel, na Baixa. Um fecho, assinale-se, realizado à revelia dos profissionais que nela trabalhavam.

1 comentário:

Margarida Pereira disse...

... mistério...

Big business rules!...