sexta-feira, 20 de março de 2009

O Primeiro dia de Verão

Hoje, 20 de Março 2009, às 11h44, começa ou começou a Primavera. O primeiro dia da Primavera é para mim o primeiro dia de Verão. E o primeiro dia de Verão é naturalmente o primeiro dia do final do Verão. Porque depois do solstício de Verão, este ano às 06h46 do dia 21 de Junho, o sol “retomará” a sua rotina descendente em direcção ao hemisfério sul (de onde agora vem).

Para mim, só duas estações reinam – o Inverno e o Verão. A Primavera e o Outono são meros embaixadores, apenas representam a grandeza do que aí vem. As pessoas limitam-se a dizer que “agora os dias vão ser mais compridos”, como se esse oceano fosse o alibi que precisam para reduzir a sua responsabilidade diária ou esforço. “Deixa lá isso agora, pá, aproveita é o bom tempo!”.


A bênção do sol em nada extende o brilho aos nossos dias se continuarmos a ser incapazes de reflectir uns nos outros a luz que o sol distribui (à borla). É por isso que eu acho que o Verão é um teste à nossa generosidade. Quando falta, prometemos dar (se voltarmos a ter). Quando abunda o calor, quem sabe distribuir?

Hoje, 20 de Março, é o equinócio da Primavera, o momento solene e equidistante (ou seja, igual para os dois lados) em que o sol atravessa a linha do Equador e nos pergunta a nós, residentes no hemisfério norte: “Posso regressar? Prometem tratar-me bem?”.

Quantos de nós seremos capazes de prometer o que quer que seja? Em Portugal as eleições serão apenas depois do solstício de Outono, em Setembro. Nessa altura, não me surpreenderia ver alguns políticos de megafone pelas feiras vender a sua próxima legislatura. “Prometemos um sol equidistante e o casamento entre os homossexuais do mesmo sexo!”.

O desdém pela Primavera e o Verão não é exclusivo do hemisfério norte, apenas dos países mediterrâneos. Portugal, Espanha, Itália e Grécia tomam a Primavera e o Verão como garantidos, por isso é natural que fiquem decepcionados quando as estações não cumprem os seus mínimos. Dizemos: “O Verão já não é o que era!”. Mas depois a nossa reacção imediata é provocar incêndios. Ninguém pode dizer que a vingança se serve fria.

Mas será que um país de janelas pequenas e varandas transformadas em marquises merece ter Verão? Os nórdicos, mais inteligentes no culto do sol, celebram intensamente o 21 de Junho, a que chamam o “midsummer” – “o meio do Verão”. Portanto, quando nós começamos o Verão, já eles vão a meio. Isso significa que desperdiçámos metade dos seis meses de Verão a queixar-nos das chuvas de Abril. Quando damos por isso já o sol está de partida.

Uma amiga confessa-me: “Na Primavera, as pessoas ficam mais felizes sem que isso seja verdade”. Eu não gostava que as pessoas fossem obrigatoriamente mais felizes, mas preferia que tudo isto fosse verdade. Nem que eu tenha que decretar.

5 comentários:

Margarida Pereira disse...

Hoje está um sol lindo, a brisa é amena, as pessoas estão dóceis, comprei agorinha uma farpela nova e daqui a nada vou para a capital, passar um fim-de-semana 'daqueles' com amigos do peito!
Como não estar feliz?!
Boa Primavera Miguel! :)
Boa Primavera, gentes que passais!

Fred disse...

Uma correcção, o Sol está parado, quem se mexe é a Terra. Acho que o modelo geocêntrico foi abandonado há umas boas centenas de anos, mas parece que nas cabeças de alguns ainda vigora...

Miguel Somsen disse...

Só um cientista como V.Exa poderia lembrar-se de semelhante coisa nesta visão "egocêntrica" que todos temos do universo.
É óóóóóbvio que não é o sol que se desloca. Mas com base nesse teu pressuposto, nunca seria correcto dizer nascer ou pôr do sol, verdade?
A Primavera dá-nos sempre alguma liberdade para a perspectiva. Bear with me on this one, bro!

Veruska disse...

Não podia estar mais longe do teu apreço pela Primavera. Para mim essa é a estação do ano que anuncia o calor insuportável, a confusão constante e a lentidão de tudo e todos.

Estação bem-vinda é mesmo o Outono, em que os dias ainda quentes precedem noites mais frescas e melhores para dormir.

Eu sou mais feliz no Outono; sou mesmo! :)

Já agora o nascer e o pôr-do-sol são justificados por aquilo a que se chama "movimento aparente da esfera celeste" que é uma das consequências do movimento de rotação da Terra. Já as estações do ano são consequência, principalmente, do movimento de translação da Terra.

Anónimo disse...

Este texto foi roubado daqui por um indivíduo chamado Rui Marçal Barandas e colocado num fórum de extrema direita. O plagiador faz de conta que foi ele que escreveu:

http://p-n-p.forumeiros.com/nacional-f36/hoje-comeca-a-primavera-t1006.htm